4.18.2007

Lessons Learned = 0

fonte: ArmedAmerica. Comentário do retratado " I consider the ownership of arms not only a right, but the duty of a free people to themselves and future generations."


Irão os EUA tirar as devidas ilações de mais uma carnificina perpetrada com armas num dos seus estados? É duvidoso que o assassinato de 33 pessoas (e considero aqui o suicídio também um assassínio) a maioria delas na flor da vida no Virginia Tech mesmo com todo o impacto mediático que está a rodear o caso venha a provocar algumas alterações à legislação de posse de armas.
Até é possível que no estado da Virginia mude qualquer coisa, mas no resto do país vão ser preciso muitos mais mortos para que a opinião pública tenha peso suficiente para se mudarem as coisas.

Na Austrália, uma terra outrora povoada sobretudo com condenados e aborígenes, 2 grupos pouco propensos ao pacifismo, foram suficientemente inteligentes para alterar a lei da posse de armas há uns 10 anos após um trágico incidente deste tipo. Os resultados foram bons.

Mas nos estados Unidos existem razões históricas muito fortes que sob a capa de Liberdade Individual permitem possuir e usar livremente armas. É um direito adquirido inscrito na 2ª emenda da constituição. Andar aos tiros é uma liberdade individual mas estranhamente já não são consideradas liberdades individuais tomar drogas ou beber alcool nas ruas (na maior parte dos estados é expressamente proibido andar sequer nas ruas com uma garrafa aberta mesmo que não se esteja a beber. O que origina o caricato hábito de esconder a garrafa dentro de um saco de papel pardo, porque a policia assim não pode provar que se trata de alcool..).
O uso de armas de fogo, tal como a posse de terra, fazem parte da génese do próprio país e são herdados dos tempos dos pioneiros. Dois dos maiores orgulhos para um Norte-Americano são o seu pedaço de terra e a sua capacidade de defender a familia (leia-se arsenal). Historicamente para um americano possuir terra e armas são as 2 maneiras mais rápidas e seguras de garantir a sua independência como pessoa. Permitiam também garantir o sustento e por arrasto a sua liberdade individual. A 3ª e a 4ª emendas da constituição americana reiteram a importância da propriedade como bem do foro privado do seu possuidor, ao proibirem o uso de propriedades privadas pelo estado e militares americanos sem o expresso consentimento dos donos, e a busca e/ou prisão sem mandato judicial em propriedade privada, respectivamente.
Em tempos idos apenas podiam participar em decisões politicas pessoas que tivessem propriedades. Isto lembra tempos Salazaristas em que o direito de voto era só para alguns... Curiosamente no estado de New Jersey ainda existem reminiscências, o "Board of Freeholders" é um grupo decisor politico local, embora ser proprietário já não seja um requisito para a ele pertencer.
Para o americano Liberdade é sinónimo de direito a ter propriedade e direito a ter armas. Por isso nada vai mudar nos EUA em termos de legislação de posse e uso de armas.

E voltando ao incidente no Virginia Tech, sabe-se agora que o assassino era um jovem de 23 anos com comportamentos anti-sociais que era finalista da licenciatura de Inglês. Estão online 2 peças de teatro que o jovem escreveu numa cadeira de escrita criativa. Depois de os ler e ignorando o conteúdo horrendo dos textos interrogo-me sobre como foi possível este jovem chegar a finalista de um curso superior. Mesmo sabendo que o VT não é uma universidade mas sim um politécnico e que não é um politécnico de topo.
Os textos estão ao nível de no máximo um 9º ano. Construção de frases básica e vocabulário reduzidissimo. Nem sequer compreendo como foi possível o jovem terminar o liceu. Em Portugal somos muito melhores mesmo com os baixos standards educacionais actuais. Para além da forma há ainda o conteúdo dos textos, mensagens violentas com uma grande densidade de palavrões misturam relações de parentesco com violência brutal, abusos sexuais e pedofilia. Quando comecei a ler estes 2 textos, foi admito-o com um misto de curiosidade mórbida e interesse cientifico, e esperava de um trabalho de escrita criativa de um finalista de inglês algo de grandioso mas que deixasse algumas pistas sobre os seus problemas mentais. Em vez disso é óbvio que se trata de um texto escrito por um doente mental que necessita de tratamento urgente. Claramente sintomático de transtorno limite de personalidade( BPD- Borderline personality Disorder ) em conjunto com transtorno de personalidade esquiva (AVPD).
Pergunto-me o que se terá passado na vida deste jovem. Nunca ninguém reparou que precisava de um psiquiatra??



0 Comments:

Post a Comment

<< Home

--------------------------------------------------------------The End------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------